Agrupamento de Escolas de Albergaria-A-Velha

O Sorriso da Mafalda

Administrador /

          Entre janeiro e maio de 2019, o grupo de EMRC do AEAAV promoveu campanha de recolha de tampinhas de plástico e metal, em solidariedade com uma criança de Viseu de nome ‘Mafalda’.
          A Mafalda completará 4 anos de idade, em breve, sendo portadora de uma doença rara do metabolismo chamada “Síndrome CDG”. As tampinhas recolhidas são entregues a uma empresa de reciclagem que, através de um protocolo solidário, paga as terapias que a Mafalda precisa para evoluir.
          Como refere a sua mãe, Joana Peixinho, na página do Facebook @osorrisodamafalda, “Dizemos sempre que a Mafalda tem uma doença rara, uma doença rara do metabolismo. É mesmo assim. Mas, muito raramente, falamos do nome da doença. Não que já não tenhamos enfrentado o diagnóstico. Também precisámos do nosso tempo para aceitar e para enfrentar tudo o que implica ter uma super guerreira! Mas, a verdade é que o primeiro contacto teórico com a doença é muito assustador. Esquecemo-nos sempre que a doença se manifesta de forma diferente de pessoa para pessoa. E que um diagnóstico não é destino! Efetivamente a Mafalda tem uma doença rara do metabolismo, mas que não a define. Ela é imensamente mais do que uma menina com uma doença rara.”
          Quando o grupo de EMRC tomou conhecimento da história da Mafalda, logo se soube que a doença se manifestava, no seu caso concreto, na coordenação, equilíbrio, linguagem e visão. Com a ajuda das terapias de que, entretanto, foi beneficiando, a Mafalda já evoluiu um pouco, sendo notórios os seguintes progressos: gatinhar de forma coordenada, mais equilíbrio, mais coordenação, uso de gestos para comunicar. Evoluiu imenso no mastigar, diz pequenas palavras de forma intencional e já fica de pé encostada a uma parede, o que era impensável há seis meses. As terapias que lhe estão a ser proporcionadas, em troca das tampinhas, são as seguintes: padovan, terapia da fala, neuropsicologia, hipoterapia, hidroterapia, psicomotricidade e snoezelen. Em março passado, a Mafalda visitou a Escola Básica e Escola de S. João de Loure, duas das escolas do Agrupamento de Escolas de Albergaria-a-Velha. Vê-la permitiu dar um rosto real à campanha que ganhou novo alento, a partir dessa data.
          A recolha de tampinhas, feita entre os meses de janeiro e maio, no AEAAV surpreendeu todos. O envolvimento dos alunos, pais, professores e assistentes técnicos e operacionais permitiu recolher 2 720 412,67Kg de tampinhas de plástico e metal, resultado que se traduz em, aproximadamente, 3 meses de terapias para a Mafalda.
          Os professores de EMRC, promotores da iniciativa neste agrupamento de escolas, recordam que a participação nesta campanha não termina aqui, pois permite cuidar da natureza e cuidar da Mafalda e deixam a todos o convite para que acompanhem a evolução da Mafalda em “O Sorriso da Mafalda” no Facebook e no Instagram.

Podem ver aqui a notícia publicada na AGÊNCIA ECCLESIA e a da EDUCRIS